Biomas do planeta e biomas brasileiros... | Sal da Terra Luz do Mundo

Facebook Twitter


2017-03-29


Biomas do planeta e biomas brasileiros (II)


Ana Lúcia Vasconcelos


Biomas do planeta e biomas brasileiros (II)

         Para entender melhor esta ligação entre os biomas, de como o desmatamento da Amazônia- a maior floresta do mundo, da Mata Atlântica, e de outros biomas brasileiros podem causar , por exemplo, o degelo dos polos ,  entre outros graves problemas, vale recordar as características dos biomas do nosso planeta . A Terra é composta dos seguintes biomas: a Tundra ( região polar) , a Taiga, (regiões de baixas temperaturas), a Floresta Temperada, a Floresta Equatorial, a Floresta Tropical, os Campos e os Desertos que estão relacionados a diferentes condições de clima, de solo e outros fatores , além de apresentarem diferentes tipos de vegetação predominante.    O Brasil por ser um país de grande extensão territorial apresenta uma grande variedade de condições climáticas que favorece  o desenvolvimento de grande variedade de ambientes e de seres vivos de onde a  diversidade dos biomas  brasileiros : Floresta Amazônica, Cerrado, Caatinga, Pantanal, Mata Atlântica e Pampas. A Amazônia constitui o maior bioma do Brasil, representando 49,29% do território brasileiro. Mais de 4.200 espécies animais foram contabilizadas, mas sabe-se que uma grande parte delas ainda não foi catalogada. Em seguida, vem o Cerrado, com 23,92%, a Mata Atlântica, com 13,04%, a Caatinga, com 9,92%, o bioma Pampa representando 2,07% do território nacional, e o Pantanal, com 1,76%.  

Floresta Amazônica

Compreendendo cerca de 42% do território nacional, a Floresta Amazônica é considerada a maior floresta tropical do mundo e está presente nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, além de outros países sul-americanos. Esse é o bioma que possui a maior biodiversidade do planeta: enorme diversidade de espécies animais e vegetais  e  onde viviam , segundo o Censo Demográfico de 2010, 24 milhões de pessoas , sendo que 56%  de população indígena de variados povos. A chamada   Amazônia Legal  compreende os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, parte do Maranhão e cinco municípios de Goiás. Com um clima quente e úmido - umidade elevada durante todo o ano. a Amazônia apresenta uma diversidade imensa de seres vivos : árvores de grande porte e folhas sempre verdes, e ainda , nas margens dos rios as matas de igapó cujas árvores  não possuem porte tão grande mas com capacidade para sobreviver em terrenos alaga­dos. Quando os riachos ou igarapés, estão mais cheios, essa vegetação fica em parte inundada. Nos igapós também vivem plantas que flutuam na água, como a famosa vitória-régia cujas folhas circulares  podem atingir mais de 2 metros  de diâmetro.  Entre as espécies animais estão: jabuti, paca, anta, jacaré, sucuri, macacos, entre outros. Muitas nações indígenas vivem há gerações na Floresta Amazônica que possuem um precioso  conhecimento a res­peito das plantas e de animais amazônicos. Entre as plantas utilizadas pelo ser humano como fonte de alimento, podemos citar a castanheira, o guaranazeiro, o cupuaçuzeiro e as palmeiras. Elas fornecem frutos como o açaí, a bacaba, o tucumã-do-pará e o inajá. Existem ain­da muitas plantas medicinais na Amazônia, como a andiroba, a carapanaúba e a copaíba. A Floresta Amazônica também possui plantas que geram outro tipo de in­teresse comercial, como a seringueira, de onde se extrai o látex utilizado na fabri­cação de borracha, e as grandes árvores exploradas como fonte de madeira, entre elas o angelim, o mogno e a sumaúma, esta última conhecida como “o gigante da Amazônia”. Tal interesse comercial gerou, desde a época da colonização do Brasil, intensa exploração e devastação da floresta. Nas últimas décadas, no en­tanto, muitas pessoas têm se mobilizado para diminuir a destruição desse bioma, forman­do movimentos ambientalistas. Um exemplo é a rede social denominada Aliança dos Povos da Floresta, que agrega comunidades tradicionais e indígenas.    

Cerrado  

O Cerrado é o segundo maior bioma do Brasil em extensão, ocupando aproximadamente 25% do território nacional. Ocorre principalmente nos estados de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, e Mato Grosso do Sul, mas é encontrado também em outros estados, como Mato Grosso, Piauí, Maranhão, Bahia e Tocantins.  Esse bioma é caracterizado por uma estação seca rigorosa e clima quente ao longo do ano. O Cerrado, ou a Savana brasileira é um bioma característico do clima tropical continental, que, em razão da ocorrência de duas estações bem definidas – uma úmida (verão) e outra seca (inverno) –, possui uma vegetação com árvores e arbustos de pequeno porte, troncos retorcidos, casca grossa e, geralmente, caducifólia (as folhas caem no outono). A fauna da região é bastante rica, constituída por capivaras, lobos-guarás, tamanduás, antas, seriemas etc. O grande problema do Cerrado são as queimadas com frequência causadas pelo homem  causando enormes prejuízos já que o  crescente desaparecimento da vegetação  deste bioma coloca em risco também outras regiões brasileiras porque alguns rios brasileiros importantes nascem nas áreas mais elevadas do Planalto Central. Esses rios abastecem outros rios, como os da bacia do Prata do São Francisco e do Amazonas. Assim, a devastação do bioma Cerrado gera impactos em outros biomas. Muitos dos seres vivos encontrados no Cerrado estão ameaçados de extinção, e muitas espécies são encontradas apenas nesse bioma. A boa notícia é que, com a identificação do problema e de suas causas, é possível planejar de forma eficientes de proteger esse importante bioma. Existem diversos programas de conservação de espécies ameaçadas, muitos deles executados por organizações não governamentais.

Caatinga

Único bioma exclusivamente brasileiro, grande parte do seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em nenhum outro lugar do planeta. Com cerca de 800.000 km², cerca de 10% do território nacional, a caatinga engloba inteiramente os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia (região Nordeste do Brasil) e parte do norte de Minas Gerais (região Sudeste do Brasil). A vegetação é adaptada às condições de aridez (xerófila), e os animais da região são o sapo-cururu, asa branca, cutia, gambá, preá, veado-catingueiro e tatu-peba. Muito fragilizada, cerca de 70% da caatinga já se encontra alterada pelo homem e somente 0,28% de sua área encontra-se protegida em unidades de conservação.  

  Pantanal

Localizado no sudoeste de Mato Grosso e oeste de Mato Grosso do Sul, estando presente também no Paraguai e na Bolívia, o Pantanal é considerado uma das maiores planícies inundáveis do planeta. Apresenta grande biodiversidade: mais de 3.500 espécies de plantas, cerca 650 espécies de aves, 262 espécies de peixe, 1.100 espécies de borboletas. Entre os representantes da fauna estão: jacaré, veado, serpentes, capivara, papagaio, tucano, tuiuiú, onça, macaco, entre outros.   Mata Atlântica Estendendo-se do Piauí ao Rio Grande do Sul, a Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos do mundo em espécies da flora e da fauna. Sua vegetação é bem diversificada e representada pela peroba, ipê, quaresmeira, cedro, jequitibá-rosa, jacarandá, pau-brasil, entre outras. Há grande diversidade de epífitas, como bromélias e orquídeas. A Mata Atlântica já foi a segunda maior floresta tropical em ocorrência e importância na América do Sul, em especial no Brasil, chegando até a Argentina e o Paraguai, cobrindo  também importantes trechos de serras e escarpas do Planalto Brasileiro, e era contínua com a Floresta Amazônica. Em função do desmatamento, principalmente a partir do século XX, encontra-se hoje extremamente reduzida, sendo uma das florestas tropicais mais ameaçadas do globo. A fauna possui várias espécies distintas: tatu-canastra, onça-pintada, lontra, mico-leão, macaco muriqui, anta, veado, quati, cutia, bicho-preguiça, jacu, macuco, etc.

  Pampas

Localizado no extremo sul do Brasil, no Rio Grande do Sul, esse bioma é bastante influenciado pelo clima subtropical e pela formação do relevo, que é constituído principalmente por planícies. Em virtude do clima frio e seco, a vegetação não consegue desenvolver-se, sendo constituída principalmente por gramíneas, como capim-barba-de-bode, capim-gordura, capim-mimoso etc. São exemplos de animais que vivem nesse bioma o veado, garça, lontras, capivaras e outros. Os Pampas constituem um dos ambientes campestres com maior diversidade de espécies do mundo, entre plantas e animais. No entanto, esse é o bioma menos preservado no Brasil pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação: apenas 0,36% de seu território estão transformados em área de conservação.        


postado em Artigos

Veja outros textos do Autor

Como usar o Sangue Redentor de Cristo

A conversão passa pela cruz

A importância da Missa e da Eucaristia

Páscoa é Passagem para a Vida

Visita Pastoral de Dom Bruno Gamberini ao Primeiro Bloco da Forania Nossa Senhora do Rosário

Visita a Paróquia Nossa Senhora do Rosário

Visita a paróquia de Cristo Rei Dia 18 e junho de 2008

Visita de Dom Bruno a Paróquia de São Paulo Apóstolo

Visita de Dom Bruno a paróquia Nossa Senhora das Graças

Visita a paróquia de Nossa Senhora de Lurdes

Encerramento da visita pastoral de Dom Bruno

É possível batizar as crianças abortadas

Encontro com os Catequistas na Paróquia Cristo Rei

E Deus criou o Paraíso (I)

Cultivar e guardar a criação (III)

Olhando nossas origens nossos biomas ( IV )

ERRO